Moraes mantém prisão de réu que quebrou relógio histórico no Planalto