“É possível manter estável a saúde física e mental com terapias regenerativas das células-tronco”, aponta especialista